quarta-feira, 3 de novembro de 2010

GRANDES ILUSTRADORES DO FANTASMA VIII

Continuando as postagens dos ilustradores da obra de Lee Falk, hoje temos um assistente de Sy Barry que foi um grande artista e que tem um interesse especial para nós brasileiros.



ANDRÉ LEBLANC

Hoje iremos falar de um grande artista, que teve a sua participação na grande obra de Lee Falk atuando como assistente de Sy Barry, ilustrando momentos importantes da vida do Fantasma.
Alem dessa participação esse ilustrador conta com um carinho especial de nós brasileiros, porque teve uma participação importante para o desenvolvimento das histórias em quadrinhos brasileiras.
André LeBlanc nasceu no Haiti, em 1921, e faleceu em nos Estados Unidos em 1998, país este onde foi educado. André LeBlanc iniciou sua carreira de ilustrador nos anos 40 nos estudios do grande mestre Will Eisner como seu assistente, era um homem muito culto e falava 6 idiomas (no Haiti além do francês oficial, fala-se inglês, espanhol e o dialeto “criolo”).
Ilustrações em “The Spirit” desenhadas por André LeBlanc

No ano de 1947, LeBlanc resolveu vir para o Brasil e aqui começou a trabalhar como desenhista de quadrinhos, criou duas tiras chamadas: “Intellectual Amos” e “Morena Flor”, que foram distribuidas nos moldes americanos de “syndication”; e estas tiras se tornaram umas das primeiras HQ brasileiras a serem exportadas para outros países no sistema americano de corporação, e foram publicadas na Argentina, Chile e Estados Unidos.
Tira de "Morena Flôr" e "Intellectual Amos" de André LeBlanc



Em 1948 a editora EBAL, lançou uma revista que viria a ser um marco das histórias em quadrinhos nacionais: a “Edição Maravilhosa” que a partir de 1950 começou a publicar adaptações de livros brasileiros. O primeiro livro adaptado foi “O Guarani” de José de Alencar e foi exatamente André LeBlanc o artista escolhido para ilustrar o romance.
Capa do romance de José de Alencar “O Guarani”, ilustrado por André LeBlanc

André LeBlanc colaborou ativamente com a edição Maravilhosa, quadrinizando toda a obra de José Lins do Rego como: (O Menino do Engenho, Fogo Morto, etc), e também as obras de José de Alencar, Dinah Silveira de Queiroz (A Muralha, etc), Herberto Sales e Maria José Dupré (Éramos Seis) para essa coleção.
Ilustração de André LeBlanc para: “Menino do Engenho”

Alem disso outro trabalho marcante de LeBlanc foi a ilustração dos Livros infantis de Monteiro Lobato; suas ilustrações servem até hoje de parâmetro para muitos artistas.

Ilustração do Livro “Sítio do Pica Pau Amarelo” de Monteiro Lobato

Nos anos 60 preocupado e querendo dar aos filhos uma educação de melhor qualidade André LeBlanc resolveu retornar aos Estados Unidos definitivamente se estabelecendo em Nova York, vivendo da ilustração de livros e quadrinhos, seu primeiro trabalho foi fazer uma adaptação celebre da Bíblia que o levou a trabalhar por 4 anos colhendo material em “lóco” na Palestina.

Depois disso teve inicio o seu trabalho na obra de Lee Falk. Foi contratado como assistente de Sy Barry; e em 1977 LeBlanc desenhou - sem créditos - o evento mais esperado pelos fãs do “Espírito que Anda”: o casamento do Fantasma com Diana Palmer, e foi um difícil trabalho pois, LeBlanc teve de desenhar o herói em ângulos que seu rosto sem máscara não aparecesse.

Ilustração com o convite do casamento do Fantasma

Mais do que um simples assistente por muitas vezes LeBlanc por ocasião de férias de Sy Barry, assumia literalmente as tiras e páginas dominicais realizando desde o breakdown (primeiro layout ou planejamento), passando pelo “pencil” e o “tight pencil” (último acabamento à lápis antes de passar a tinta), mais a arte final em nanquim, tudo era feito por LeBlanc.

Estudo de personagens realizado por André LeBlaanc

Quando André LeBlanc trabalhou com Dan Barry (irmão de Sy Barry) em “Flash Gordon” este fez questão de colocar nos créditos o nome do assistente (Dan Barry e André LeBlanc); embora essa parceria tenha durado pouco.

Competência, equilíbrio, perfeccionismo, harmonia no conjunto, honestidade, discrição. As mesmas qualidades aparecem na vida e nos desenhos deste homem gentil, fiel aos amigos, amoroso e preocupado com a família, cuidadoso com a sua arte.
Porém como acontece com muitos artistas brasileiros, André LeBlanc acabou sendo esquecido com o passar do tempo, por isso o Blog Fantasma Brasil apresenta este artigo rendendo uma merecida homenagem a este artista talentoso que contribuiu não só para o desenvolvimento dos quadrinhos brasileiros mas dos quadrinhos mundiais.

3 comentários:

  1. Maravilha de artigo.
    Parabens.

    Ayres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu nome e Vivian, eu sou a filha do Andre. Eu fiz letras para o Fantasma, e tenho todos os desenhos dele. Se voce quiser informacao sobre Sy Barry (Sy fez o Fantasma, nao Dan Barry - Dan morreu muitos anos antes) , por favor me escreve.

      Eu agredeco o seu artigo sobre o meu pai. Ele era o meu amigo :)

      Cheers!

      Excluir
  2. Olá amigo Ayres,
    Fico contente que tenhas gostado do artigo, principalmente vindo de ti que tens um grande conhecimento da Nona Arte como podemos verificar através de seus excelentes artigos publicados no "Mundo dos Quadrinhos", são estas manifestações que nos insentivam para fazer o trabalho de pesquisa e as edição dos artigos do nosso blog Fantasma Brasil.
    Grande Abraço
    Sabino

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...